Vale a pena comprar suplementos

Você sabe dizer oje em dia se vale a pena comprar suplementos? Algumas pessoas perguntam constantemente em nosso blog se vale a pena comprar suplementos.

Vale a pena comprar suplementos

No geral, quando as pessoas começam a malhar, a primeira coisa que procuram são os suplementos. Suplementação e academia parecem se completar. Mas, por mais que os suplementos possam ajudar a atingir os objetivos, é preciso tomar certos cuidados antes de começar a ingeri-los.

Vale a pena comprar suplementos
Vale a pena comprar suplementos

Evidências médicas sugerem que a suplementação alimentar pode ser benéfica para um pequeno grupo de pessoas. Os suplementos tem uma ação mais eficaz em atletas competitivos, cuja dieta não seja balanceada. Pois, nesse caso, com a deficiência de um nutriente, o aumento de sua ingestão, por meio da alimentação habitual, ou de suplementos, é indicado.

É comum que os adolescentes, envolvidos em atividade física ou atlética, comecem a usar suplementos. Sem orientação médica, ou indicação, essas pessoas começam a ingerir os suplementos sem saber dos riscos para a saúde, causados pelo uso indevido.

A orientação de um nutricionista para a ingestão de suplementos é primordial para qualquer idade. Seja para evitar gastos desnecessário com produtos que não ajudarão na performance, ou para obter orientação de como fazer a suplementação correta para atingir o objetivo.

Mas, o que são os suplementos alimentares?

Conhecidos como substância que ajudam a “bombar”, os suplementos alimentares tem objetivos muito maiores. Definidos como substâncias utilizadas por via oral com o objetivo de complementar uma determinada deficiência dietética, os suplementos alimentares são benéficos para a saúde.

Por mais que sejam comercializados como substâncias ergogênicas capazes de melhorar ou aumentar a performance física, eles têm objetivos particulares em sua composição que agem em cada pessoa de uma forma diferente.

Os suplementos alimentares mais utilizados são: Proteínas e aminoácidos, creatina, carnitina, vitaminas, microelementos, cafeína, betahidroximetilbutirato e bicarbonato. Veja a ação de alguns deles:

1- Suplemento alimentar: Proteína

Os preparados proteicos são os suplementos alimentares mais consumidos, principalmente as proteínas do soro do leite e albumina.Possuem alto valor nutricional, alto teor de aminoácidos essenciais e de cadeia ramificada, alto teor de cálcio e peptídeos bioativos do soro.

Efeitos: 1) aumento da síntese proteica muscular; 2) redução da gordura corporal.

Opções de Suplementação: whey protein e albumina são os mais populares.

Como tomar: A whey protein é disponibilizada sob a forma de pó, a ser diluído com água ou leite, na dose média de 30 g/dia, pela manhã em jejum ou logo após a atividade física. Já a albumina é um suplemento com elevada concentração de proteínas e, geralmente é utilizada na dose de 1 g/dia.

2- Suplemento alimentar: Aminoácidos

O consumo de arginina e ornitina como suplementos alimentares não se associa a mudanças na massa magra ou função muscular, exceto em indivíduos sob estresse (trauma, queimadura, cirurgias), nos quais a suplementação pode reduzir a extensa perda muscular.

Efeitos: são usados em combinação com a ingestão de carboidratos, logo após uma atividade física, para favorecer o aumento de massa muscular.

Opções de Suplementação: glutamina, aminoácidos de cadeia ramificada (leucina, valina, isoleucina), arginina, lisina e ornitina são os aminoácidos mais utilizados sob a forma de suplementação alimentar.

3- Suplemento alimentar: Creatina

A creatina é produzida no fígado, rins e pâncreas a partir da glicina, arginina e metionina. Ela também é encontrada naturalmente na carne. O requerimento diário médio é de 2 g/dia, sendo 1 g proveniente da dieta e 1 g da produção endógena.

Efeitos: A suplementação com creatina pode causar um aumento de 20% na fosfocreatina muscular, acelerando o reabastecimento da mesma no período de recuperação, o que potencialmente atrasa o início da fadiga. A suplementação nas doses usuais não causa alteração da função hepática ou renal. Os efeitos adversos do uso prolongado são: ganho de peso, desconforto gastrointestinal e câimbras musculares.

Como tomar: a dose que habitualmente é utilizada por atletas é de 20 g/dia, por 4 a 5 dias (dose de ataque), seguida de 1-2 g/dia (dose de manutenção) por 3 meses.

Gostou? Espero ter ajudado a solucionar a sua dúvida em relação se vale a pena comprar suplementos!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *